Pedro Anselmo: os álbuns que marcaram o guitarrista da Lasting Maze

A LASTING MAZE é uma banda de metal melódico criada em 2014, na cidade de Mossoró-RN. Suas composições falam sobre a mente humana, psicologia, ciência, filmes, jogos, assim como os sentimentos humanos. Apesar da pandemia do coronavírus o quarteto formado por Grazy Mesquita (vocais), Pedro Anselmo (guitarra), Isaac Barros (baixo) e Mick Souza (bateria) não deixou 2020 passar em branco, lançando singles, vídeos e participando de festivais online, enquanto trabalhavam em um novo disco, sucessor do EP "Silent Spring", lançado em 2016. Em abril desse ano foi lançado o fruto desse trabalho, o EP "Thunder". Confira abaixo um pouco da história de Pedro Anselmo, baixista da Lasting Maze, que relata seus primeiros contatos com a música e os álbuns que marcaram sua vida.

Olá a todos, sou Pedro Anselmo, da LASTING MAZE. Meu primeiro contato com o rock foi com um CD do meu pai que era uma coletânea da banda Scorpions, o "Deadly Sting: The Mercury Years". Mais tarde, bem no começo da adolescência, um amigo gravou uma compilação de músicas das mais variadas em um DVD, que ia desde o rock clássico ao metal melódico. No início dos anos 2000, tudo era mais restrito e a forma mais prática de conhecer músicas era através de CDs gravados no Nero pelos seus amigos! Aqui são 10 álbuns que marcaram minha vida e me influenciam até hoje na maneira de tocar e compor.

Hardline - "Leaving the End Open"

Esse foi um álbum que eu ouvi despretensiosamente e ao longo dos anos ele foi se tornando um dos meus preferidos. Nele, a banda pôde experimentar muita coisa nova e sair da vertente hard rock que tinha antes, tornando-o muito conceitual. Me inspiro muito na ambiência e atmosfera de cada música;

 

 

Gotthard - "Need to Believe"

O último álbum da banda que foi gravado pelo vocalista Steve Lee, antes de falecer em um acidente. Ele já era bastante marcante na época em que foi lançado e depois do trágico ocorrido, então, ficou ainda mais. Gosto bastante de todos os elementos orientais que a banda trouxe na música "Shangri-La" em forma de escalas e instrumentos, como também o peso e o feeling presente em todo o trabalho;

 

 

Harem Scarem - "Mood Swings"

Conheci a banda Harem Scarem por esse trabalho e o usei muito para me desenvolver na guitarra, pois os riffs do Pete Lesperance são muito marcantes para mim. Em 2013, o álbum foi relançado como uma edição de aniversário de 20 anos, que foi um presente para todos os fãs.

 

 

Zeno - "Runway to the Gods"

Zeno Roth é irmão do ex-guitarrista da banda Scorpions, Uli Jon Roth. Ele mistura muito a música clássica com hard rock inclusive o Zenology, que é um de seus álbuns anteriores, é um disco muito bom do gênero. No "Runway to the Gods", Zeno expressa toda a sua virtuosidade não só na guitarra, mas também em todos os outros instrumentos e inclusive na voz. Me espelho muito no feeling que ele passa mesmo com os solos fritados e técnicos do trabalho;

 

 

Sonata Arctica - "Silence"

Conheci esse álbum da banda finlandesa através de um amigo que tinha o CD físico, que por muito tempo eu tentei barganhar para ele me vender! Eu já conhecia a banda pelas músicas do "Ecliptica" e pelo cover de "Still Loving You" do Scorpions que eles fizeram, mas a partir do "Silence" eu me tornei fã de verdade. Gosto muito do guitarrista que tocou esse álbum, o Jani Liimatainen, que tem um estilo bem speed metal mas com um feeling bem presente no metal melódico;

 

 

Angra - "Temple of Shadows"

Quando eu conheci uma loja daqui da cidade que vendia CDs de metal, os primeiros discos que eu comprei lá foram o "Temple of Shadows" e o "Train of Thought", esse segundo do Dream Theater. Quando cheguei em casa, me lembro de por o "Temple" pra ouvir no aparelho de som que tínhamos, e eu fiquei abismado logo na primeira música. Esse é o meu álbum preferido do Angra. Me julguem, não me importo! Acho que como sou guitarrista, prefiro esse por ser o auge da banda nesse quesito, na minha opinião;

 

 

Dream Theater - "Train of Thought"

O primeiro trabalho que eu ouvi do Dream Theater. Lembro de ter ficado chocado com o tamanho das músicas e não entendia como tinha gente que ouvia algo tão grande. Eu ouvi muito esse álbum e hoje em dia ele é muito marcante pra mim, James LaBrie tem um timbre incrível e não adianta em nada eu falar do instrumental da banda, é absolutamente perfeito. Ao longo dos anos eu me tornei um fã do estilo prog metal e esse foi o trabalho que me apresentou ao estilo;

 

 

Mr. Big - "Lean Into It"

Esse álbum do Mr. Big trouxe muitos dos clássicos da banda, músicas que são tocadas até recentemente nos setlists da banda. Ao longo da minha vida eu sempre escutei e toquei várias músicas em bandas antigas em que estive. Definitivamente é um clássico do estilo e me influenciou muito no estilo de tocar;

 

 

Work of Art - "In Progress"

Conheci o Work of Art pelo W.E.T., que é o projeto do Jeff Scott Soto com integrantes das 3 bandas que compõem o nome da banda, "Work of Art", "Eclipse" e "Talisman". "Work of Art" talvez seja a mais diferente das 3, um AOR bem melódico e técnico, com uma atmosfera de muito feeling principalmente pela voz marcante do Lars Säfsund;

 

 

 

Avantasia - "The Scarecrow"

Quando eu conheci esse álbum, eu não queria ir dormir à noite porque precisaria parar de ouvi-lo. Um álbum que me inspira até hoje, o trabalho do Tobias Sammet nele é incrível. Fugindo bem das raízes do metal melódico dos dois primeiros discos e ainda assim mantendo um pé nisso, o álbum é uma grande celebração do projeto incrível que é o Avantasia.

Pra mim, é praticamente impossível expôr toda a minha influência em 10 álbuns, até porque o estilo é algo que sempre se adapta. Não poderia deixar de citar as bandas In Flames e Soilwork, que me inspira com todo o peso e melodia que eles colocam nas músicas, algo que eu sempre tento imprimir na Lasting Maze. Tudo depende sempre do momento em que estamos e as composições se transformam em um retrato disso. Muito obrigado a todos que leram!